/ Xamanismo

Há Um Xamã Urbano Dentro Do Seu Coração!

Há um chamado da alma tocando a mente de muitas pessoas que sentem a imperiosa necessidade de resgatar “alguma coisa” muito especial que faz falta em nosso coração e na nossa lida diária. 

Há um sentimento bem profundo me dizendo que sou um ser espiritual vivendo uma experiência humana e que “alguma coisa” precisa ser feita imediatamente para me permitir resgatar urgentemente uma parte essencial de mim e que se encontra perdida. 

Há verdades ocultas batendo na porta do meu coração me dizendo: desperte e busque teu sentido de harmonia... olhe à sua volta e veja o que tem sido feito com a “Patcha mama”, a tão amada “Gaia”, a “Terra de Urântia”... é hora de se levantar e agir como a seta que sabe do seu alvo, ou o vôo infinito do condor, ou os olhos certeiros da águia, ou a determinação da pantera, ou o saudável e alegre banho de cachoeira e gritar um basta a tudo isso. 

Há que se respeitar novamente a Mãe Terra, devolvendo a ela a sua MAJESTADE. 

Hoje não há a caça para nos alimentarmos. Nem o rio limpo para pescarmos. Não moramos mais em uma tribo, onde o bem comum era a herança de todos. Trabalhamos em comércio, em indústrias, em escritórios, em consultórios, prestamos serviços e nos alimentamos do supermercado. 

Não são mais nem o tambor, nem o sinal de fumaça a levar nossas mensagens, nem as canoas que desciam suavemente pela correnteza de um rio claro, nem os corcéis são os nossos principais meios de transporte... agora são os e-mails, os laptops, os celulares, os automóveis, os aviões. Mas tudo isso nos afastou de algo que nossos corações reclamam veementemente de volta: o nosso contato com a natureza, o nosso reencontro com a pureza da Mãe Terra. 

A civilização avançou em tecnologia, estamos vivendo uma época fantástica de despertar de conhecimento científico, realizamos verdadeiros prodígios eletrônicos, se compararmos com as últimas décadas, mas no coração de muitos seres humanos, fica um chamado reclamando a cada hora que “alguma coisa” está faltando. Este coração precisa ser preenchido pelo despertamento emocional dos seres humanos. 

Há uma pequena mas importante história minha que coloco neste texto apenas como fator de esclarecimento sobre o conceito que pretendo passar ao leitor do site: 

“Com 18 anos recebi, através de um sonho maravilhoso, um chamado espiritual de um Mestre Ascenso, mas por não conhecer nada desse aspecto acabei buscando num centro espírita meu primeiro conhecimento sobre minha espiritualidade. Vivi todos os processos dos cursos de médiuns, evangelização, etc. até que à certa altura aqueles que me orientavam não estavam mais entre nós. Então, com cerca de 30 anos, passei a ser o orientador de muitas pessoas, fundando uma casa, adquirindo sede própria e desenvolvendo uma série de trabalhos espirituais de ajuda comunitária. 

Num determinado momento as energias começaram a mudar, os Intra-Terrenos, os Mestres Ascensos, os Elementais, os Extra-Terrestres, passaram a fazer parte do dia-a-dia da comunidade da qual participava e as mudanças começaram a se realizar na estrutura da casa e na adequação dos trabalhos que as novas energias ancoradas exigiam. 

Um dia, no consultório, atendendo um paciente em trabalho de Regressão a Vidas Passadas, e que apresentava uma enorme dificuldade de concentração e relaxamento, apareceu do meu lado direito um índio todo paramentado e me pede para segurar um mbaracá (chocalho)... ao segurá-lo e chacoalhá-lo, aparece à minha frente uma imensa floresta que se aproxima da maca do paciente e, ao ficar bem perto dele, começa a soltar uma energia de cor verde-amarelada que entrava no boca do estômago e no coração daquele ser humano. 

Bastante assustado, pergunto ao índio o que era aquilo, e ele me respondeu que se tratava de Xamanismo e que eu deveria estudar para entender. Procurei e estudei, fiz a primeira formação dos 4 elementos, e de lá para cá, não pararam mais de chegar informações, ou através de outros xamãs encarnados, ou através dos xamãs espirituais, até que, num sábado à tarde, senti uma necessidade de ir ao consultório, sentar-me na poltrona e acender um Petikwaá (cachimbo)... Fui levado para o centro da Terra, onde um chefe índio, com um cocar todo iluminado, fez uma consagração dizendo-me que já estaria pronto para passar o conhecimento aos irmãos brancos”. 

Mas... como levar este conhecimento aqui na cidade grande? Como conciliar a naturalidade do xamanismo com nossa agitada vida profissional, social, espiritual e familiar? 

Introduzi o Xamanismo no meu trabalho diário e nos pacientes; assim, quando sentia as dificuldades de lidarem com suas emoções, sugeria um trabalho xamânico, realizado em outro ambiente para a limpeza de seu corpo emocional. Desta maneira, fui encontrando um caminho e hoje entendo que o trabalho que realizo é de limpeza dos 3 chacras inferiores (básico, esplênico e plexo solar), onde estão acumuladas as emoções negativas que registramos através das múltiplas encarnações que temos tido aqui na “Patcha Mama”. 

A partir daí me senti um xamã urbano. Não precisava mais estar na floresta, dentro de um rio, numa cachoeira ou numa caverna. As próprias energias xamânicas vêm até você e a pessoa acaba tomando um banho de rio, de mar ou de cachoeira, ou entrando em uma profunda caverna, ou em contato com seu animal de poder, sempre visando sua cura emocional, a partir do momento que é aberta um roda medicinal xamânica, também chamada de roda de cura. 

Você é levado em transe xamânico até a presença do seu mestre xamã para orientações e tratamentos de saúde ou mesmo espirituais. Se for o seu caso, você começa a encontrar nesse momento aquela “coisa que falta”. 

O xamã urbano tem uma grata ética com a Mãe Terra. Ele a respeita acima de todas as coisas e sabe que é Ela que o recebe há milhares de anos em sua peregrinação humana. Sabe que tudo o que fazemos à Nossa Mãe, fazemos a nós mesmos e a toda humanidade. Todas as coisas no universo estão interligadas. Somos uma única família, com bilhões de células vivenciando diferentes experiências, para que um dia, diante da Presença Divina do Divino Criador Pai-Mãe, possamos mostrar a parte que realizamos aqui visando o plano divino que é a expansão do Universo e a experimentação do Próprio Deus. 

O xamã urbano vive os aspectos de sua espirtualidade através do contato com as forças da natureza (os 4 elementos), que são energias espirituais e trabalha num nível de consciência crística quando se entrega com amor e devoção ao chamado que seu coração e sua ancestralidade lhe fazem. 

O xamã urbano resgata sua vida passada como índio, vivendo parte daquela consciência e do poder mágico que ela lhe confere, mas é ligado ao mundo de hoje, atua no aqui e agora e colabora para tornar a vida cada vez melhor, fazendo com que a qualidade das vivências humanas seja cada vez mais próxima do ideal crístico. Para implantar uma civilização na Terra de forma a agir com a sabedoria correta, lidando com a luz e com a sombra de cada um, prosseguindo sempre no caminho do meio, justamente o caminho crístico. SE VOCÊ QUER CONHECER MAIS, CLIQUE ABAIXO E CONFIRA. ESTE CURSO PODE LHE DAR INSTRUMENTOS PARA MUDAR SUA VIDA. 

CONHEÇA O CURSO: RESGATANDO O XAMÃ INTERIOR