/ Xamanismo

Xamanismo: O animal de poder

Uma das coisas que mais encanta qualquer pessoa que participa de um trabalho xamânico é o contato com seu animal de poder. Ao sentirmos a presença do animal, sentimos sua energia, viajamos com ele, participando ativamente na cura que ele vem nos trazer, e até podemos eventualmente vir a conversar com ele, pois para muitas pessoas, o animal de poder se torna um grande amigo, com o qual trocam conselhos e até confidências. 

Há os casos daqueles que nunca tiveram qualquer espécie de percepção espiritual e que, ao participarem de um trabalho xamânico, mais especificamente de uma Roda de Cura, vêem seu animal e se surpreendem com a beleza e encantamento deste momento, mágico para qualquer ser que realize esse contato. 

É um mundo místico, é um mundo do “tudo é possível”, é onde a realidade da percepção dos sentidos materiais é alterada, se expande e a nossa mente passa a compreender que todos têm determinadas capacidades que estiveram durante muito tempo bloqueadas. 

Mas o que é o Animal de Poder?
Para entendermos com profundidade esta questão, não podemos esquecer que nós somos seres espirituais vivendo uma experiência humana e por isso todo um conjunto de planos e dimensões espirituais estão e estiveram sempre à nossa inteira disposição, estando nós conscientes, ou não, de sua existência. 

Essas várias dimensões acima da nossa, material e humana, têm leis em sua maioria incompreensíveis à nossa mente racional devido ao “tsunami” que arrasou a percepção de nossa consciência superior, a partir dos últimos séculos do cristianismo, quando o pensamento Crístico e livre em seu princípio e essência, foi brutalmente esmagado. Somente sobrou a crença naquilo que fosse palpável ao nosso toque e visível aos olhos, passando a considerar heresias os aspectos extra-físicos, com muitos que até pagaram com sua própria vida por acreditarem publicamente em outros planos e dimensões, que não fossem aqueles impostos pelo poder religioso-político dominante. 

Esta sombra que a religião cristã, mais precisamente o catolicismo romano, impôs à sociedade, afastou o nosso direito de observar e sentir as energias da natureza, as quais em todos os momentos respondem às nossas necessidades evolutivas. Essa natureza existe para dar sustentação à vida humana, sendo que foram os elementais, comandados pelos Elohins, que criaram no planeta Terra as condições para que nós humanos pudéssemos habitá-lo. 

É aí, nesta natureza de quarta dimensão, que encontramos a energia do Animal de Poder, entidades totalmente disponíveis para nos ajudar a encontrar o nosso caminho de harmonia e bem estar. 

Há duas visões paralelas que se fundem sobre o animal de poder. Uma diz que eles são arquétipos, símbolos de energias que existem no inconsciente coletivo e que podemos encontrar e manifestar dentro de nós, sendo nosso lado instintivo e mais primitivo.
Outra visão do animal de poder é que ele é uma egrégora espiritual mais ou menos como se tratasse de “espíritos” de animais, disponíveis a nos ajudar em nossa evolução. 

Minha visão sobre o animal de poder, por trabalhar com ele diariamente em minha vida profissional, é bem parecida com estas duas afirmações, pois elas ocorrem ora de uma maneira ora de outra. Acrescento que a nossa mente tem poderes infinitos de criar, transformar, absorver, interferir, aferir e quanto mais nossa sensibilidade estiver disponível à nossa Mente Superior, mais as possibilidades fenomênicas se ampliarão deixando o infinito como limite daquilo que poderá acontecer. 

É bastante motivador encontrar ao final do trabalho xamânico, num atendimento terapêutico ou mesmo durante a Roda de Cura pública que realizamos todas as quartas-feiras às 20:00 h, diante de pessoas com poucas vivências de sua espiritualidade ou mesmo com aquelas que dizem nunca terem visto nada além daquilo que os olhos físicos possam nos mostrar, muitas destas pessoas emocionadas e até meio incrédulas, relatando experiências fantásticas, acessando a dimensão xamânica do animal de poder, conseguindo um período de muita paz e profunda reflexão. 

Normalmente, quando o animal se apresenta para o trabalho de ajuda à pessoa, ele pode apenas se aproximar, como pode vir a tocar a pessoa; alguns até incorporam este animal e fazem as verdadeiras viagens de poder, e pelo que pude aprender, o querido animal sempre vem nos ajudar a fazer uma enorme limpeza nas energias não qualificadas do nosso corpo emocional, corpo onde alojamos todos as nossas dores da alma e assuntos de ego não resolvidos. 

As pessoas que têm sua raiz xamânica já trabalhada em vidas anteriores terão muitas facilidades de entrarem em contato com seu animal de poder e isto pode acontecer mesmo fora de um ambiente xamânico; uma coisa importante: cada animal representa uma energia diferente da outra e esta energia aparece para a pessoa de acordo com sua necessidade, portanto não é você que escolhe o animal de poder, e sim, você é escolhido por ele, conforme sua necessidade evolutiva do momento, pois até podemos ter sempre um mesmo animal de poder junto de nós, mas também vários outros que vêm nos trabalhar dependendo da necessidade momentânea. 

Se você tem curiosidade em saber qual a energia do seu animal de poder, ou saber qual a energia que cada animal representa, clique aqui, e poderá encontrar muitas respostas. Se tiver interesse em se aprofundar neste conhecimento, procure um grupo xamânico bem orientado, faça seus estudos, aprenda esta arte mística e maravilhosa do animal de poder e seja sempre mais e mais feliz com ele. 

Participe do curso O Caminho do Xamã Urbano