/ Psicologia

Pensamentos Erráticos

PENSAMENTOS ERRÁTICOS
Você que está nos escutando ou lendo, sente que várias vezes num dia, entram em sua mente, uma série de pensamentos sem que você os tivesse chamado. Eles brotam não sei de onde, e podem ir embora ou ficar presentes em você por pouco ou muito tempo.
Normalmente estes pensamentos podem trazer desconforto, medos, culpas, julgamentos, sensualidade desenfreada e muitas outras questões e uma grande parte deles acabam ficando reverberando em nossa mente, e muitos de nós nos alimentamos destes pensamentos, pois gostamos deles e outros, se sentem mal, até culpados por tê-los, e outros lutam desesperadamente para não mais tê-los.
Podemos chamar estes pensamentos de Erráticos. O ser humano vive a sua vida, quase que dominado por pensamentos erráticos e não se dá conta, ou não sabe o que fazer com eles.
Há uma indicação espiritual de grande profundidade que afirma que o ser humano não é responsável pelo seu pensamento, mas ele se torna responsável pelo pensamento que aceita.
O pensamento vem. Ele não deixa de vir. Nós fazemos parte de uma grande cadeia cósmica e nossas mentes que nunca deixaram de estar ligadas à Fonte Criadora, e que também se comunicam com todas as mentes de toda cadeia evolutiva, e citaremos as mentes de:  reino animal, reino vegetal, reino mineral, reino humano, reino Elemental, reino angélico  e também está ligada como uma grande teia, a todas as outras mentes e formas existentes no universo, pois tudo tem uma única origem, que é o Pensamento do Criador.
Como nada está fora desta rede universal e cósmica de ligações mentais, originadas e coordenadas a  partir do Pensamento Matriz, uma verdadeira teia de pensamentos se espalham por todas as direções possíveis e envolvem a todos os seres existentes, por isso, nós não somos responsáveis pelos pensamentos que temos, mas nos tornamos por aqueles que aceitamos.
E todos os pensamentos que aceitamos, os maravilhosos e os pavorosos, ao serem aceitos, é porque encontram ressonância em nós. Houve uma identidade daquele pensamento com algo dentro de mim, pois quando não há esta identidade, o pensamento apenas passa e vai embora, não fica.
Cada pensamento que me vem, e fica reverberando, se torna repetitivo, se torna obsessivo, está ligado a algo que o pensamento encontra dentro de mim, e como um grande imã este se liga ao nosso pensar e lá fica ancorado, por haver algo semelhante a ele dentro do meu arquivo de memórias pré-existente que tanto podem ser a memória extra-cerebral, que envolvem experiências anteriores a esta vida, como podem ser dos padrões emocionais herdados, que  adquirimos em nossas infâncias através do convívio com nossos parentes ou os criamos por traumas que existiram em nossas infâncias. 
O pensamento errático quando é aceito e se instala dentro da pessoa, normalmente ocorrem dois fatores que aqui vamos analisar, para entendermos que há uma maneira de lidar com eles, caso este seja o seu interesse e queira viver uma vida com mais qualidade e amorosidade.
Falaremos primeiro da pessoa que aceita o pensamento errático e nem o percebe. Uns gostam deles, se alimentam com eles; fortalecem cada um destes pensamentos, e estas são as pessoas que mantém uma vibração de alma de baixa freqüência e que normalmente estão bastante presas aos julgamentos dos outros ou de si mesmo, pessoas que mantém muitas mágoas e se sentem vítimas do mundo e tudo que lhe acontece acha que é uma injustiça, que Deus é injusto, e que sempre tem alguém tentando lhe atrapalhar ou que tem um compromisso com a “titica” da galinha e nada em sua vida dá certo. Consideram-se sem sorte e azaradas.
Há ainda nesta categoria de pessoas, aquelas de altíssimo nível de sensualidade e despreparo em lidar com o amor e aceitam todos os tipos de pensamentos libidinosos que lhes vem à mente e os sustentam e os fortalecem a cada dia, como também as pessoas medrosas e as apegadas, que ao sentirem pensamentos semelhantes ao conteúdo dos seus arquivos, se agarram neles, repetem os conteúdos desta programação doente, e ao repeti-lo estão dando sustentação e autorização, para que num futuro bem próximo um novo conjunto destes pensamentos venham novamente a se manifestar em suas vidas.
Estas pessoas aqui descritas, normalmente não têm consciência dos pensamentos erráticos, sente-os como se fossem seus mesmos, os aceitam de maneira geral, não fazem distinções, por terem suas sensibilidades ainda embutidas ao viver uma vida material mais com uma conotação instintual, sem se ater que somos seres espirituais vivenciando uma experiência humana.
Há aqui outro grupo de pessoas que também não entendem o que é um pensamento errático, normalmente não tem noção que ele exista, mas tem a sensibilidade de senti-lo e se perturbam bastante quando os sentem e este processo provoca em suas vidas muito sofrimento emocional, às vezes muitas culpas e diversos tipos de sensações que há algo de errado em suas vidas.
Geralmente estas pessoas buscam três caminhos para suportarem esta dificuldade. Um destes caminhos é a religião, onde se agarram como tábua de salvação e alguns até se fanatizam e chegam inclusive a colocar responsabilidades no sobrenatural pelas suas dificuldades emocionais. Alguns colocam culpas nos espíritos perturbadores e outros orientados por pessoas que muitas vezes se acham autoridades em conhecimentos espirituais ou nas histórias do Sagrado livro A Bíblia, fazem estas pessoas acreditarem que seus pensamentos são obras de satanás.
Estes grupo de pessoas vivem uma vida, dependentes da religião, de passes, de exorcismos, da dependência de uma palavra de uma guia espiritual, de um padre ou de um pastor, passando a buscar fora de si a causa de sua dificuldade, mas se esquecendo de olhar para si, de ver que dentro de si há uma história não resolvida e não amada, e mesmo em alguns casos quando há um transtorno espiritual onde existem determinadas energias que estão assediando uma pessoa, este fato só ocorre porque há uma referência de não amor, de não perdão, ou de culpa e medo dentro do seu coração que não foi ainda transformado à luz da sua Consciência Divina.
Outros vão buscar tratamentos alternativos dos mais variados, que podem ser Reiki, Yoga , outras práticas orientais de imposição de mãos, massagens, acupuntura, dança, etc,.  Práticas todas elas saudáveis,que amenizam, aliviam e ajudam no centramento emocional, dando um nível muito bom na melhoria dos dificuldades que os pensamentos erráticos apresentam, mas nenhuma destas práticas levam à cura das pessoas. Elas são muito importantes, eu mesmo sou adepto delas, dão excelente suporte energético,  mas aprendi que ninguém de fora de mim, pode resolver o que está dentro de mim. Somente eu quando aprendo a entrar em contato com meu Centro divino que está no meu coração vou promover minha cura.
Neste grupo de pessoas bem mais conscientes do que os anteriores, por estarem mais abertas à sua própria busca de espiritualidade e crescimento, muitas se sentem culpadas, quando obtém uma grande melhoria dos seus sintomas, com qualquer uma destas práticas descritas, mas ao recaírem tendem até a abandonar tudo, dizendo que fez tudo direitinho e nada adiantou e entram em momentos de descrença e de sofrimento e até culpas.
Uma boa parte destas pessoas, depois de terem tentado várias opções alternativas, mas sem uma melhora efetiva e segura, acabam buscando na psicoterapia a solução para as suas dificuldades, pois mesmo sem entender, sentem que há algo em seus pensamentos, que acabam gerando comportamentos que produzem dores, sofrimentos e culpas.
Aqui pode começar um caminho de grande melhoria para estas problemáticas que surgem com a manutenção dos pensamentos erráticos, pois o surgimento deles está ligado a existências de alguns arquivos e sua cura ocorrerá quando estes arquivos forem acessados, compreendidos e transformados.
Os nossos arquivos armazenam experiências anteriores, onde algum fator provocou um desequilíbrio ou excesso de alguma coisa. Ou fizemos demais ou fizemos de menos, e este excesso ficou gravado como um sentimento de dor, medo, culpa, mágoa, arrogância, orgulho, etc, e são estes arquivos de fatos pré-existentes e não harmonizados, que fazem com que se mantenham os pensamentos erráticos quando eles vêm às nossas mentes.
O meu aprendizado sobre estes pensamentos, começou quando eu percebi que havia uma quantidade deles que jorravam diariamente em minha mente, me perturbavam, me culpavam, me amedrontavam e eu não sabia conviver com eles, muito menos como me livrar deles.
Eles me levaram à busca pela espiritualidade, pois queria uma purificação daquilo que volta e meia pensava e não dominava e a prática da minha espiritualidade desde os 18 anos, logo em seguida descobri a Psicoterapia que me fez entender que havia alguma coisa mais profunda, e orientado pelos meus Mestres, o caminho natural foi estudar a Psicologia.
Nestes mais de 40 anos de parceria com a espiritualidade  e mais de 20 anos com o conhecimento da Psicologia, fui constatando que aquilo que inicialmente eu sentia em mim, também era comum a outras pessoas que vinham até mim buscando algum tipo de orientação, e quando comecei a fazer palestras e ministrar cursos, ficou evidenciado esta problemática do ser humano que são os pensamentos erráticos e que a grande maioria não sabe lidar com eles.
À partir deste momento senti que teria que buscar uma maneira de aprender a lidar com estes pensamentos, que eram também geradores de sentimentos e nesta busca, há 10 anos atrás, surgiu na minha vida o xamanismo, que abriu um enorme caminho de compreensão a estas questões, pois foi ele que deu coragem de assumir a minha espiritualidade enquanto psicólogo clínico.
O xamanismo me levou ao conhecimento da Psicologia Transpessoal, que aceita todas as práticas de autoconhecimento, que levem o ser humano a ter uma vida com mais qualidade e encontre mais felicidade e nesta área da Transpessoal, a Terapia de Regressão de Memórias foi para mim um divisor de águas que me ajudou a compreender e a praticar em meu trabalho técnicas e manejos que possibilitam e entrada em contato com nossos conteúdos mais internos e com este contato encontrarmos um caminho que nos leve à cura pessoal.
Mas podemos aqui fazer uma pergunta: sem ter uma busca espiritual e sem fazer um tratamento de psicoterapia, como poderei promover a melhoria destes pensamentos, equilibrando-os para que não mais me fira e eu aprenda a lidar com eles?
Evidentemente o trabalho de nossa psique orientado para esta finalidade dá resultados profundos de bem estar pessoal, pois ele nos leva ao encontro do nosso Eu Superior, ou Cristo Interno, e só quando temos o encontro com esta minha parte do nosso 5º. Corpo que poderemos acalmar os reclamos dos nossos arquivos mentais e emocionais, que pedem reparação de tudo aquilo que ele passou acreditar que foi feito contra sua existência.
Quando aprendermos a entrar em contato com nosso Eu Superior, que é também chamado corpo da Alma encontramos a paz e a nossa luz divina que sempre esteve dentro de nossos corações, mas que por diversos valores, estivemos olhando e procurando fora de nós por esta realidade de cura divina.
Para se acessar esta nossa realidade maravilhosa, temos apenas que acalmar a mente;  a mente que teima toda hora a ficar fora, a buscar fora de si, ou nos outros ou nas situações do cotidiano as repostas ou soluções, e elas só virão quando acalmo esta parte da mente, e entro dentro de mim, do meu coração e escuto a voz do seu ser divino ali se manifestando, e que nos mostra que não existem problemas, que tudo está dentro da Ordem Cósmica, tudo é um enorme aprendizado e problema só irá existir se acreditarmos que existam, pois poderemos encará-los como uma possibilidade de mudanças e de cura, e não como problemas.
Poderemos encarar qualquer das chamadas “dificuldades” como uma oportunidade de mudança de padrões mentais e emocionais, e como um desafio ao nosso crescimento humano, e esta consciência possível, só se desenvolve com a entrada em nosso coração, que não reclama, que aceita, abençoa e ama.
Se há em você uma parte que não aceita e que reclama, que se queixa e que se faz de vítima, que se considera azarada e não amada, se quiser aceitar minha sugestão aqui vai; procure ajuda emocional. Faça uma terapia, você precisa se conhecer e compreender sobre as emoções que estão nesses arquivos, você precisa  e merece aprender a lidar com seus pensamentos erráticos, pois eles estão tirando sua felicidade, o seu direito de ter maiores conquistas na vida e a maior delas é o amor. Sem amor eu não sou nada. Mas o amor que primeiramente preciso é o amor de mim para comigo, o se amar, para que estando numa sintonia amorosa, também atraia para minha vida o mesmo amor que irradio.
Dependente das experiências que trazemos nos arquivos para serem curadas, fica quase impossível que consigamos sozinhos esta libertação que nos leve ao centramento emocional  e se este for seu caso, como foi o meu,  não resista a procurar ajuda psicológica, porque ela poderá ajudar você a resolver esta dificuldade que se apresenta de lidar com os pensamentos erráticos e certamente se libertar de muito sofrimento..
Irineu Deliberalli
Psicólogo e Xamã