/ Psicologia

Qual a Minha História?

No sábado fui dormir com vontade e no domingo acordei com a mesma vontade de comer melancia gelada. Hummm, que delícia. Então domingo de manhã fui até a feira que fica na mesma rua que moro, a 2 quarteirões e comprei a dita melancia....hummmm.
 
Na volta,com a sacola pesada de outras frutas e legumes que comprara,passei diante de um prédio, onde vi na escadaria de sua entrada uma moça loira bonita de no máximo 30 anos, de bermuda branca e com alguns apetrechos ao seu lado junto aos seus pés, como se estivesse esperando alguém ou alguma coisa.
 
Ela olhava para todos os lados e quando passei por ela, nossos olhares se cruzaram por uns 2 segundos e deu para ler a grande ansiedade que tomava conta de seu coração. Caminhando, desviei o olhar dela e vinha caminhando na mesma calçada uma senhora já bem idosa, com andar trôpego acompanhada certamente de uma jovem que lhe tomava conta. Neste momento veio uma frase em minha cabeça: “qual serão as suas histórias? Qual será a experiência que cada uma delas tem vivido em suas existências?
 
A minha percepção espiritual do mundo e minha história profissional de formação em TRVP, terapia de regressão em vivências passadas, me dão a certeza, e falo em certeza não em crença, então me dão a certeza que temos um longo caminho de vida aqui na querida mãe terra.
Somos seres multidimensionais, há várias partes nossas vivendo em outros lugares. Tenho varais experiências destas acontecidas comigo e também com vários pacientes que atendi e nos últimos anos nos trabalhos xamânicos é comum este tipo de vivência, que provam nossa multidimensionalidade.
 
Assim, sou convicto que várias partes nossas ao mesmo tempo executam trabalhos cósmicos de naturezas diferentes e em cada um destes trabalhos, há um caminho delineado para que aprendamos a viver as experiências que cada um deles nos dá e assim vamos escrevendo múltiplas e dimensionais histórias.
 
A vida humana para valer, começou nesta dimensão aproximadamente 100mil anos. Você que me ouve pode acreditar que tem em média 100 mil anos de vida material, podendo ser até de maior tempo tua experiência e uma coisa comum existe entre todas as nossas experiências... estamos todos nós escrevendo um História.
 
Voltando à moça loira e à senhora trôpega no andar, caminhando ainda os 100 metros que faltavam para chegar em minha casa, fui olhando para cerca das 10 pessoas que apareceram diante dos meus olhos, nas calçadas ou em seus automóveis... e um mesmo pensamento:Qual a história de cada um?
 
Voltei para mim para me olhar, ou olhar em mim o referencial daquilo que percebo E ME perguntei: qual história estou escrevendo de minha vida? Estou escrevendo uma nova história ou estou repetindo sempre a mesma história?
 
Reflita um pouco você que está me escutando, qual a história que você está escrevendo? Pense e sinta... qual história que você está escrevendo? ... a cada dia de sua vida você abre uma página nova e começa a grafar novos conteúdos, ou continua imobilizado, quase engessado, semi paralizado, repetindo sempre a história do dia anterior?
 
O que é escrever uma nova história e o que é repetir a história do dia anterior?
Escrever uma nova história é se abrir ao novo, se dar a oportunidade de cada dia aprender algo novo, buscar uma experiência nova, um momento diferente, visitar um lugar nunca antes visitado dentro de você, tomar atitudes nunca antes tomada, pensar em coisas que nunca havia pensado E ter a largueza de entender que a vida é uma grande escola e estamos aqui, todos nós, como alunos de uma maravilhosa experiência que é a vida humana e esta experiência, quando bem vivida, certamente vai nos levar ao encontro de nós mesmos, da presença de Deus em nós, ou seja da plenitude ou da felicidade.
 
Por outro lado, se vivo a cada dia repetindo a história anterior, a história do ano passado, a história de 10 anos atrás ou a história de várias das minhas últimas existências, patinando em cima delas, dando volta em círculos e não saindo do lugar, o que estou fazendo comigo, que chance tenho então me dado de encontrar a felicidade, que existe em meu coração, na plenitude do contato com meu Cristo Pessoal?
 
No meu dia a dia profissional, ao praticar a psicologia clínica tenho a possibilidade de aprender muito com meus pacientes, pois eles são meus professores. Quantas das dificuldades que eles trazem numa sessão terapêutica e que não conseguem resolução, estão naquele momento me ensinando a que eu aprenda a lidar com minhas dificuldades, pois ao ajudá-los a encontrar um caminho que leve à solução do conflito apresentado, muitas vezes também estou apresentando a solução para mim mesmo.
 
Somos todos eternos aprendizes de uma magnífica experiência chamada vida humana. E o contato com cada criatura que o caminho nos apresenta, vai criando a condição de escrevermos nossas novas histórias, até que as páginas tenham sido todas preenchidas e o livro de nossas vidas esteja escrito. Terminado.
 
Mas, observo que muitas pessoas, uma parte muito grande da humanidade, está presa no Rodamoinho da repetição, não se dando chances a escrever uma nova história neste importante livro da vida, repetindo sempre a mesma página e a mesma história, tendo diversos sentimentos que são os impedimentos de se concluir a obra final de cada um.
 
Que sentimento são estes? Podemos apontar alguns como o medo, a culpa, o apego, o controle, o orgulho, a arrogância, e alguns mais, pois por termos experenciados estes sentimentos em páginas anteriores da nossa história e termos anotados no livro da vida estas experiências, para muitos de nós, elas foram tão fortes, que ficamos presos a elas e agora não estou conseguindo caminhar em frente, para escrever novas páginas e aí fico sempre repetindo o mesmo padrão de algo que já vivi e não consigo me desvencilhar.
 
Aprendi a muito tempo, que tudo aquilo que não consigo mudar em mim é porque tem um lado meu que gosta. Por mais feio ou desajustado socialmente que seja aquilo que não consigo mudar e vem sempre á minha cabeça como uma vontade de atitude ou desejo, é porque tem em mim algo que gosta daquele padrão.
 
Dou exemplo de uma cena comum no meu consultório, de pessoas muito puritanas, que procuram ter uma moral acima de qualquer suspeita e normalmente criticam as pessoas com comportamentos afetivos ou sexuais mais livres... quando você consegue fazer estas pessoas se olharem a verificarem os reais sentimentos que tem dentro de si, notam que por trás do puritanismo, que é um grande mecanismo de defesa, existe uma pessoa com sentimentos negativos sobre aquilo que critica e se critica no outro é porque reconhece em si que tem as mesmas tendências, principalmente as pessoas fechadas em suas sexualidades, que mantém o medo de fazerem a entrega de sua de seu coração.
 
A história humana aponta que ficamos presos às experiências mais fortes e impactantes destes passados e tendemos a repeti-las até que haja o entendimento da fantasia que fiquei preso e assim possa me libertar.
 
O que acontece é que enquanto fico preso numa fantasia e não olho o real da vida a ser vivido, sempre isso provocará em mim sofrimento. Todo sofrimento humano, existe porque estou preso numa fantasia, que me trouxe uma experiência muito forte, que normalmente me encheu de culpa e medo ou da sensação que sou melhor do que o outro, e nestes valores ficamos presos e enquanto não olharmos de frente, a todos os sentimentos que tentamos fugir de nós mesmos, que estão lá no fundo de cada um de nós, não há a cura nem a libertação.
 
As palavras do Mestre, conheça a verdade e ela te libertará é hoje mais atual do que há 2 mil anos atrás. Não conseguiremos seguir em frente, não conseguiremos a felicidade, não conseguiremos ter paz no coração se não entrarmos em contato com estes sentimentos que há dentro de mim, que fazem parte das experiências anteriores e tem me tirado a oportunidade da felicidade. Não há como ter felicidade se não estiver em sintonia e harmonia com meu Eu Superior ou Cristo Interior.
 
Cada um de nós é um escritor. escritor do próprio livro de sua vida. Alguns têm escrito livros maravilhosos em suas trajetórias pelo planeta e outros, e são a maioria, estão presos em determinados capítulos da experiência humana, recalcitrantes, não andando ou continuando o movimento do universo que é estar sempre escrevendo uma página nova neste livro da vida.
 
Você amigo, amiga que nos acompanha, olhe para o livro de sua vida... veja qual o padrão que vc está repetindo, e notará que é nele que você está preso, é aí que seu ego, ainda não lhe permitiu que a lição a ser aprendida tenho tido um desfecho favorável. Tenha coragem de se olhar... olhe para frente do seu livro da vida, verifique quantas páginas em branco você ainda tem para preencher e talvez vc tenha fica parado na página número 77 ou 86 e talvez pudesse estar hoje na página 150 ou 167, mas por medo, por culpa, por orgulho ou qualquer outro sentimento que você não esteja querendo enfrentar, tens por isso deixado de participar da maior experiência de todos os tempos, que é viver e superar uma vida planetária da 3ª.dimensão, como nós vivemos aqui no planeta terra.
 
O livro é seu, a história é sua e o livre arbítrio também, mas a sua história não está completa, porque no seu do seu caminho você parou em algum detalhe e não conseguir caminhar mais. Tenha coragem, você pode e consegue, pegue seu lápis, sua caneta, seu micro e volte a escrever sua história de vida. não a deixe paralisada, pois toda a nossa história tem um final feliz e ela nos leva de volta ao amor divino e à presença de Deus em nosso coração.
 
Pare, pense e perceba... em que página você deixou parado a sua história? Por um ato de amor e pelo seu bem, não acha que chegou a hora de concluí-la e seguir adiante na sua viagem de construtor da vida e do universo junto com o Divino que habita teu coração?