/ Psicologia

A Nossa Cura Pessoal

 As trombetas já soaram. 

A hora da nossa cura já chegou. 
A cura do orgulho, da vaidade e da viciação do pensamento. 
A hora é agora. Não há mais tempo.
Só eu posso me curar e o que me cura são minhas atitudes positivas. 
O tempo da nossa cura é hoje.
A cura tem que ser na hora do agora.
É necessário que o homem aprenda, definitivamente, a jogar o mal fora de si.
A limpeza psíquica tem que ser feita.
Os padrões viciados, tantas vezes sustentados nas múltiplas existências terrenas, têm que ser aniquilados hoje.
Amanhã não haverá mais tempo.
Somos responsáveis por tudo aquilo que pensamos.
E tudo aquilo que pensamos, quer venha de nossa própria psique ou de assimilação de correntes dos pensamentos involutivos do inconsciente coletivo que nos permeia, é de nossa exclusiva responsabilidade, a sua mudança.

Nós atraímos ou repelimos o padrão que mantemos. É nossa escolha.
Tudo aquilo que vem à nossa mente, temos o poder de escolha. Escolhemos se aceitamos ou rejeitamos.
Aqui é a parte mais importante do processo de nossa cura!
O que vem à nossa mente, quando não são pensamentos e sentimentos de harmonia, são lembranças das experiências daquilo que durante muito tempo aceitamos como nossas verdades.

Praticamos durante milhares de anos o “desamor”.
Agredimos, magoamos, submetemos, impomos, alteramos e nos acostumamos às viciações dos nossos pensamentos, quase que sempre em nome de nossa segurança pessoal.

A mídia expõe maciçamente a maneira como os governos e os grandes conglomerados financeiros, industriais e comerciais atuam, em nome da segurança dos seus regimes e sistemas.

Temos o vício de acreditar que a vida material pode ser separada de Deus.
A vida material, os negócios, a segurança das nações e das atividades mercantis é uma coisa e Deus é outra. 
Desenvolvemos todas as atividades humanas pragmaticamente sem Deus, mesmo que muitos apelem e usem o nome de Deus, para justificar suas atitudes mesquinhas e desprovidas do sentido de parceria e generosidade.
Quase todas as atividades humanas são “negócios” e Deus fica sempre fora desses “negócios”.

Deus é o amor. Mas Ele é muito mais que o amor. Ele é o Criador do amor.

Ao deixarmos Deus de fora de nossas atividades, deixamos o amor fora de nossas vidas.
Não pensamos em amor e conseqüentemente, não praticamos o amor.
Só o amor pode aliviar as nossas dores. 
Só o amor pode nos ajudar a reestruturar uma nova maneira de pensar. 
Só o amor poderá nos fazer criarmos a hora de nossa cura. 
Só o amor curará a humanidade.

O amor, como herança Divina, está aí, dentro de cada coração. Sempre dentro e te esperando.

Como tudo aquilo que pensamos é de nossa responsabilidade, convido você a usar o critério do amor, em substituição a todo pensamento que lhe vem à mente e que não seja de harmonia. 

As trombetas já soaram. A hora de nossa cura já chegou.

Não há mais tempo, mas mesmo assim ainda posso fazer a minha escolha definitiva e esta escolha tem que ser a do amor. 
Mas tem que ser agora. O amor tem que fazer parte de sua vida agora. Se você aprender a praticar o amor agora, estará curado.

Faça-o urgentemente, pois as trombetas já soaram.

Acompanhe as notícias da mídia, veja a direção que o “desamor” fez o mundo tomar e faça uma análise no seu coração.
Tenho certeza que saberá que o tempo é hoje.
Certamente amanhã não haverá mais tempo.

Texto revisado por: Cris