/ Psicologia

A Paixão "Futebol" é por ser o Homem mais Imaturo?

 Já ouvi várias afirmações sobre o homem que gosta muito de futebol ser imaturo, ou mais imaturo. Pesquisei o assunto e confesso que não encontrei co-relação entre os fatos. Gostar de futebol, ou de qualquer outro esporte, faz parte de determinadas necessidades humanas, que estão presas em nosso Inconsciente Coletivo e se analisarmos os comportamentos dos diversos povos que compõe o planeta, verificaremos, que algum esporte nacional faz parte da cultura e da paixão de cada povo. 

Portanto, não concordo com esta afirmação, mas como Psicólogo que sou, infelizmente constatei algumas coisas importantes sobre o comportamento do homem, que passo a você e se tiver interesse de entender um pouco, como você funciona, aqui vai um material interessante de aprendizado e meditação. 

O masculino e o feminino, de certa maneira, vivem uma grande competição, e um tenta provar ao outro, sua superioridade, ou o seu heroísmo em suportar a convivência com seu oposto, ou... enfim, não importa o lado que possamos estar, pois podemos verificar com toda clareza, as diferenças evidentes entre um e outro, numa velada e explícita maneira, onde cada um dos lados, procura demonstrar que é mais competente, ou mais inteligente que o seu oposto. 

A libertação feminina das últimas 3 décadas, veio dar à mulher, uma consciência maior do seu corpo, de sua vida, dos seus direitos e do seu poder. À passos largos, a mulher ganha seu espaço e se prepara para muito em breve, fazer com que o lado feminino da vida, tome o destino do planeta, e nos conduza sabiamente, ao nosso grande destino, de vivermos novamente uma vida de harmonia, justiça, paz e felicidade. 

Hoje, ao olharmos a humanidade, e vendo tudo que ocorre à nossa volta, pode dar aos niilistas, uma visão apocalíptica do destino humano, mas quem já consegue ver com os olhos da alma, e entende que nesta mudança de 3ª para 4ª dimensão, múltiplos valores de mente e Psiquê, estão sendo novamente resgatados, pode ter a certeza que em breves tempos, teremos uma mudança planetária do comportamento humano. 

Antes que a mudança aconteça, é necessário que se quebre, toda a estrutura arcaica da sociedade, para que se comece tudo novamente. Quem fará esta mudança, é o aspecto feminino de cada personalidade ! 

Para que seja entendido este nosso conceito, o Tao, trouxe-nos a visão do positivo e negativo, do Yin e do Yang, ou mais modernamente do Elétron (carga negativa) e do Próton (carga positiva), que cada um de nós tem no seu ser. Nosso corpo é do lado esquerdo, negativo, é Yin, é Elétron, ou seja, em cada um de nós, nosso lado esquerdo é feminino. Em contra partida, nosso lado direito, é positivo, é Yang, é Próton, ou masculino. 

Somos seres bipolares. Masculino e Feminino se completam em si mesmo. Um não vive sem o outro. Um não funciona sem o outro. Ambos convivem em si e fora de si o tempo todo. Todos que não convivem em si, consigo mesmo, ou seja, se ama, se respeita, se permite, está em desequilíbrio e sofre. 

Se você que lê este texto é homem, e heterossexual, sua procura é sempre por uma mulher. Você já pensou porque sempre procura uma mulher? O que lhe leva a gostar de seios, de coxa carnudas e macias, de nádegas fartas e bem torneada, de uma braço liso e bem delineado, e sem pelos, de cabelos compridos, etc... ou seja, tudo aquilo que o homem aprecia numa mulher? 

Ah, você pode estar falando, "...é porque eu sou homem..." Não duvido que seja homem, mas aqui não estou discutindo tua masculinidade, estou discutindo o motivo pelo qual tem tanta atração pela mulher. Se não consegue encontrar a resposta vou lhe ajudar: "Você, eu e todos homens, temos tanta atração pelas mulheres, porque a nossa parte masculina, reclama a ausência parte feminina em nós mesmos." 

Ainda não entendeu? Então preste atenção..."O homem tem atração pela mulher, por sentir que falta dentro dele uma parte, e ele sente que esta parte está numa mulher. Portanto nós homens queremos uma mulher, desejamos um corpo de mulher, por nos sentirmos incompletos sem o feminino em nós. O ser completo é masculino e feminino ao mesmo tempo. Uma integração bipolar" 

Eu amo no outro, aquilo que me falta, aquilo que não tenho, aquilo que quero para mim. Para as mulheres, o inverso é o mesmo. Músculos no peito, nas coxas, nos braços, nas nádegas, e pelos no peito, pernas, barbas... A mulher procura um homem, pois sente falta do seu lado masculino em si mesma. 

Todos que não convivem fora de si, com o outro, ou seja, não ama o outro como ama a si mesmo, não respeita o outro como respeita a si mesmo, não permite ao outro, como permite a si mesmo, estão em desequilíbrio e sofrem. 

A grande conquista deste 3º milênio, é a harmonia das partes. O equilíbrio entre as duas forças primordiais do universo. E, se fizermos uma aferição entre ambos, certamente o masculino neste momento sairá perdendo de longe. 

A mulher é a Matriz. Uma dos dois teria que sê-lo. Só que esta matriz, em nossa sociedade, vive também uma enorme crise. Tem muitos problemas estruturais a resolver. Sofre bastante, pelo modelo educacional herdado, mas mesmo assim, leva uma vantagem enorme contra os homens. Certamente a mulher, que está alguns séculos à frente do homem, ainda encontra muita dificuldade em lidar com algumas destas coisas que enumeramos: 

1) A mulher compete demais com outra mulher. Precisa ser mais bonita, mas inteligente, e de uma maneira quase que geral, fica quase que tomando conta da vida da outra mulher. Esta competição intensa com a outra mulher, está ligada à competição com a própria mãe, que não resolveu em sua infância, quando esteve vivendo sua fase de complexo de Édipo.(*)(vide texto A MÃE E O FILHO HOMEM). 

2) A mulher tem uma ausência, a sensação de ter, um tipo de buraco na boca do estômago, que lhe cria muita ansiedade e insegurança (devido rompimento com a mãe, quando vivencia seus complexos de Édipo e Castração). 

Como precisa lidar com estas dores, e teria no homem o resgate desta insegurança, ao ver este homem frágil,(como a mãe dele o moldou) com comportamentos inadequados, sem entender direito a vida, ela precisa tomar conta da vida dele. De maneira geral, a mulher traz em si, um conceito arquetípico, que está enraizado na psiquê feminina onde se crê: "todo homem é incompetente, não sabe fazer nada, não sabe se cuidar, se não tiver uma mulher por trás...." Certamente seu pai, lhe deu muitas provas e confirmações deste fato. 

E muitas mulheres, por causa disso agem, tomando conta de vida do homem, querendo controlar sua vida, atuando como se o homem fosse um incompetente para qualquer coisas. Talvez só sirva para ganhar dinheiro. (sic) Infelizmente, ainda é grande o número de mulheres, que buscam um casamento ou uma relação afetiva, motivadas pelo dinheiro que o homem possa ter ou ganhar. 

3) A mulher ao ter um filho homem, enfrenta uma verdadeira guerra interior, entre o amor, o apego e o poder. Muitas jogam todo seu conteúdo infantil não resolvido, em cima deste filho(*), e o cerca com cuidados excessivos, o protege, faz por ele, e não o ensinando a fazer, como é um dos principais papéis da mãe, torna-o dependente, incompetente, e configura a explicação analisada no item 2 deste texto, que "todo homem é incompetente". 

4) A mulher de maneira geral, tem muita necessidade de ser admirada, pois com o rompimento com a mãe e a conseqüente criação do buraco no estômago, cria um mecanismo de defesa que visa compensar esta ausência, e o ser admirada, visa suprir de certa forma esta necessidade. Como toda mulher sabe, da dependência que o homem tem do seu corpo (2 tetas, nádegas e uma periquita), muitas usam este poder, visando manter o controle e poder sobre o masculino. 

5) A mulher tem uma grande fragilidade, que é justamente sua necessidade de ser admirada. Por isso, homens que percebem esta dificuldade, usam da frase..."...não existe mulher honesta, o que existe é mulher mal cantada". É aqui que muitas mulheres são enganadas, quando estão diante de um homem sedutor, que usa da força da libido, da força masculina, que sabe falar as palavras que elas precisam ouvir. 
Poucas mulheres estão estruturadas, para resistir a este poder devastador do masculino, quando usado de maneira inconseqüente. 

O homem por seu lado tem outros vícios e outras dependências, mas notem, que a dificuldade de um dos lados, é conseqüência imediata da atitude do outro, senão vejamos: 

1) A grande maioria dos homens, ao buscar uma relação afetiva, ele busca uma mãe, que continue a nutri-lo como a sua mãe o fez sempre. Por mais que o discurso seja diferente, a grande maioria dos homens ainda e infelizmente, está preso à nossa educação latina machista, onde o papel da mama-nutridora, é tão forte que ele não consegue resistir, e busca sempre o mesmo referencial de companheira. Muitos se casam, para ter uma mulher que lhe cuide. 

Como não se libertou de sua mãe, normalmente, ou em diversos momentos de sua vida, o homem pensa com a glande do pênis,(cabeça de baixo) vendo a mulher como um simples objeto de uso da sua sexualidade, que está ou deverá estar à sua disposição, para uma trepada, como sempre sua mãe ou outra mulher sempre esteve à sua disposição, não para a trepada, mas para nutri-lo em tudo. A relação do homem entre sexo e insegurança é total. 

Sentindo-se inseguro, procura praticar sexo, ou seja busca no sexo, a proteção do corpo da mãe, que sempre esteve lá para supri-lo. Entendo este, como um dos maiores problemas do masculino, a sua grande fragilidade. Como é triste ver um homem, às vezes maduro, bem sucedido, estar preso nesta armadilha, e sair correndo atrás do primeiro par de pernas bonitas que aparecer em sua frente. 

3) Estes aspectos acima apontados, fazem com que grande partes dos homens, tenham muita dificuldade em manter seu equilíbrio emocional/afetivo, proporcionando a uma grande maioria, comportamentos de promiscuidade, onde a troca de parceiras ou a necessidade de ter sempre uma mulher, para fazer sexo, se torne de certa forma um troféu, onde em suas fantasias, contabiliza sempre mais uma presa. Infelizmente, ele não consegue ler, que a presa sempre acaba sendo ele mesmo, pela dependência, e pela não valorização do vínculo afetivo que é o grande sustentador de nossas vidas. 

Um exemplo típico deste quadro de dependência de um (o homem) e de disputa de outro (a mulher) é um certo tipo de homem que chamo de homos-pueris, onde o homem, é casado e arruma uma amante solteira. O seu jogo de sedução é composto de 4 discursos clássicos: 1- não posso me separar, tenho os meus filhos, eles precisam de mim. 2- está muito difícil a situação financeira e não daria para dividir os bens. 3- Ela é doente, ou tenho medo que se mate, se eu me separar. 4- Ela me trata muito mal. Ou Um, ou outro, e às vezes os quatro. 

Este homem, manipula por diversos anos sua amante. Ela, com pena, compaixão, acaba aceitando, na esperança que um dia tudo mude, e que ele fique só com ela. Esmera-se nos carinhos, no sexo, na comida,(coitado, ele precisa de mim. Eu vou tratá-lo melhor do que ela) pois está o tempo todo concorrendo com a esposa dele, ou seja, com sua própria mãe.(esta competição com sua mãe, é que a deixa ficar dentro desta situação, embora podemos constatar, que também a relação com seu pai não está nada resolvida). 

Normalmente esta mulher/amante, só se dá conta do que aconteceu, depois que este homem arruma outra amante e a deixa falando sozinha. Algumas eu pude acompanhar, vendo-se enganadas, tomaram atitudes sérias e o entregaram às suas esposas. Outras reclamam durante meses, do investimento que fizeram e não tiveram retorno, vivendo uma grande depressão pelo fato de ter acabado a relação. 

Este homos-pueris, sempre será assim, é uma eterna criança, e os poucos que eu vi, que acabaram ficando com a amante, ao se "casarem" com estas, imediatamente, arrumam outra amante. 

Ele não consegue ficar sem fazer uma triangulação. Ele é tão infantil e dependente da sua mãe, que mantém sua santa esposa no lar, normalmente uma mulher não muito bonita ou desejável, mas esta representa sua mãe. Como trepar com mãe é incesto, ele precisa arrumar fora de casa, alguém que lhe dê a ilusão, o senso de poder e fantasia da libido. Patético, mas verdadeiro. 

Poderíamos enumerar ainda, outras tantas atitudes de ambos os lados, mas o que precisa ficar transparente, é que o modelo que temos, e com que somos educados, nos leva a estes tipos de atitudes. Provocando uma sociedade imatura, com mulheres e homens imaturos, sendo que infelizmente o aspecto masculino, apresenta uma defasagem maior do que o aspecto feminino. Normalmente o homem não vive sem sexo, ou melhor, o homem não vive sem mulher, ou melhor, o homem acostumou-se à dependência da mulher. 

O homem é mais imaturo? Creio que seja, pois se perde na sexualidade e na ilusão de que é forte e tem poder, pois tem pênis. Esta crença neste poder, é sua fraqueza. 

Homens e mulheres são vítimas de suas próprias histórias, de seus próprios modelos internos. Precisa-se mostrar às pessoas, quanto elas são manipuladas. Quanto elas agem em desarmonia, devido aos padrões emocionais herdados e matrizes de vida (pai/mãe) desajustadas. A estrutura vigente não serve às nossas necessidades de evolução espiritual. 

Precisamos repensar a nossa sociedade, mas repensar primeiramente em nossos lares. Na nossa intimidade, pois tudo que nos acontece, ou todas experiências que vivemos, tem base na vida familiar, principalmente nos nossos primeiros 7 anos de vida, e certamente nós a repetiremos no dia-a-dia do adulto, quando interagimos, lá fora, com o homem ou a mulher de nossas vidas. Inclusive com os filhos, posteriormente. 

Dr. Irineu Deliberalli – Psicólogo Clínico 

Autor do livro: SÓ PARA HOMEM