/ Psicologia

Educando Filhos, Educamos Nossa Criança Interior

 “Quem olha para fora sonha. Quem olha para dentro acorda” C.G. Jung 

“A CRIANÇA IMITA O ADULTO NAQUILO QUE ELE FAZ, E NÃO NO QUE ELE FALA. PORTANTO, EDUQUE O ADULTO QUE EDUCAREMOS A CRIANÇA”. 

O que o adulto pode saber, para melhorar a educação da criança! 

Nossos 3 Poderes: Imaginação – Emoção – Palavra 

No início de nosso desenvolvimento, estamos no caos e indiferenciado, como diz Moreno. As informações começam a chegar até a criança, e assim ela vai construindo os seus valores reais de crenças. Estas crenças sobre a vida e sobre si mesma serão equilibradas ou não, de acordo com as informações que passemos a esta criança. 

Imaginação a Emoção e a Palavra, são os 3 maiores poderes do ser humano. Com eles nós construímos tudo o que nos cerca. Nosso nível de felicidade ou infelicidade, está em harmonizarmos estes 3 poderes em nossas vidas. 

É importante que ajudemos a criança no exercício de sua Imaginação, pois quando exercitamos a Imaginação, entramos em contato com a 4a.dimensão e nela, nós criamos nossa realidade, que pode vir a se concretizar na 3a. dimensão. 

A criança que tem uma Imaginação bem desenvolvida, é mais segura, feliz, harmônica e aprende automaticamente a lidar com suas Emoções, pois as própriasEmoções foram desenvolvidas inicialmente ao usar a Imaginação de maneira adequada.(EI VC AÍ ADULTO... LEMBRE-SE DA SUA INFÂNCIA.... COMO ERA SUA IMAGINAÇÃO? ELA ERA LIVRE SOLTA, OU SERCEADA PELOS ADULTOS DA SUA VOLTA? PARA SABER A RESPOSTA, OLHE HOJE A SUA IMAGINAÇÃO, COMO ELA É....ELA É POSITIVA OU NEGATIVA? ELA É A SUA CRIANÇA INTERIOR... AQUILO QUE FICOU DAS LEMBRANÇAS DE SUA INFÂNCIA, ESTÁ HOJE AQUI, AÍ, EM TODOS NÓS QUE SOMOS ADULTOS....DIANTE DE PROBLEMAS OU ENFRENTAMENTOS, QUAL A NOSSA ESPECTATIVA? ESPERANÇA OU DESESPERO, ACREDITO NO MELHOR OU NO PIOR? 

Lidar com nossas Emoções é o que leva o ser humano ao equilíbrio ou à doença. O nosso corpo emocional é o que tem determinado o padrão de bem viver em nossa sociedade, e a Palavra, que vem a concretizar nossos caminhos, sai de nossa garganta, através das informações que nossas Emoções processam em nossa psique. 

Normalmente o padrão educacional que temos desenvolvido, bloqueia o desenvolvimento destes 3 poderes, e tiramos o crescimento harmônico do ser humano, provocando todas as neuroses que enfrentamos em nossas vidas adultas. 

Se você é uma pessoa interessada em mudar este padrão, nós vamos lhe dar aqui uma dica, que se entendida, poderá provocar efeitos de felicidade e paz à criança que tem sobre sua guarda. TANTO PODE SER SEUS FILHOS, COMO SUA CRIANÇÃ INTERIOR... Use de............ 

Histórias e Metáforas.... 

As crianças aprendem com Histórias ou Metáforas. (Metáfora é o emprego de uma palavra em sentido diferente do próprio por analogia ou semelhança) 

Como dissemos, a Imaginação vai criar a Emoção. Uma criança que se imagina ruim, abandonada, culpada, etc, vai criar uma realidade em suas emoções, semelhantes ao imaginado. A qualidade daquilo que o adulto fala à criança tem importância fundamental, no seu processo educacional.(AQUILO QUE VC FALA SOBRE SI MESMO TAMBÉM... QUAL A IMAGEM QUE VC TEM DE VC?) Se uma criança vê e ouve, um adulto sempre se queixando da vida, ela vai entrar na imaginação da queixa, conforme o modelo apresentado, e vai desenvolver emoções de queixas, que se transformarão em palavras de queixas na vida adulta.(E AÍ VC SE QUEIXA MUITO DA SUA VIDA OU DAS COISAS?) 

Se quiser confirmar esta afirmação, olhe em você mesmo, em qualquer pessoa próxima, as queixas que se têm da vida. Escute tuas queixas ou de outras pessoas. Veja que nestas queixas tem bem desenvolvido o papel de vítima ou do coitadinho de mim. Olhe para seus pais, ou os pais desta outra pessoa, e verifique que estão apenas repetindo o padrão herdado da queixa ou da vítima. Existe coisa mais chata do que uma pessoa que se queixa? 

Assim, ao contar uma história a uma criança, ou lhe fazer uma metáfora, procure sempre dar qualidade, harmonia, equilíbrio, trazendo conteúdos de esperança, felicidade, e possibilidades de superação de qualquer dificuldade. 

Dou-lhe aqui exemplos: ao tomar o leite, imagine a vaquinha que forneceu este leite, como é seu nome, como é a vida dela lá no pasto, quem é a pessoa que tirou este leite, o caminhão que transportou o leite, a geladeira que O guardou, a pessoa e a máquina que O embalou, o entregador, o recebedor do mercado ou padaria, o vendedor que vendeu à mamãe ou papai.... se quiser ir mais longe, a criança toma o leite num copo, ou caneca, ou mamadeira... que também tem uma história....use o bom senso, e a alegria para dar esta comunicação com a criança. 

Faça isso com a comida, com legumes, verduras, biscoitos.... transforme a vida da criança numa enorme imaginação positiva, pois a criança que tem boa imaginação, terá mais facilidade em analisar os fatos que a vida lhe apresentar e será uma ótima maneira de aprendizado, e um excelente preparo para uma vida adulta feliz, mas e principalmente, passe sempre nestas histórias valores verdadeiros e adequados, para que esta criança venha a ..... 

...sentir-se parte do mundo. Um cidadão e não uma coisa, ou um valor econômico ou de estatística, que tem que crescer e aprender para competir e ganhar muito dinheiro. A criança precisa desde pequena a aprender que ela é do mundo, assim como o mundo é dela. O mundo existe para ela, como ela existe para o mundo. Ela é uma cidadã, com direitos e obrigações. 
(COMO VC SE SENTE....VC SE SENTE UM CIDADÃO DO MUNDO, OU UM CIDADÃO APENAS EM BUSCA DE COISAS MATERIAIS?)
 

Ao trabalharmos com adolescentes, na faixa entre 14 e 17 anos, temos constatado a dificuldade de saberem o caminho a seguir, e principalmente, de se sentirem integrados no mundo em que vivem. O mundo é ainda caótico e indiferenciado, como de uma criança recém nascida. Não tiveram a oportunidade de aprender que são cidadãos do mundo, que a vida faz parte deles, como eles fazem parte da vida. Questionam o que fazem aqui e não se sentem preparados e com coragem, para enfrentar o estudo, um trabalho, uma relação afetiva, e muito menos, ter qualquer tipo de responsabilidade com sua própria conduta humana. Aprenderam a receber e não a trocar, e por isso não se reconhecem como cidadãos. 

Estes valores devem ser passados, sempre, desde o momento que nós começamos a nos comunicar com a criança. Prepare a criança com valores de alma, para que apenas ela seja feliz, e aprenda a ouvir sua voz interior e encontrar seu próprio caminho. Uma criança que exercita positivamente sua imaginação encontra com certeza seu caminho, através da voz interior e você e essa criança tem..... uma missão.... 

Cada Criança tem uma Missão: (o adulto também! VC PENSA OU PENSOU JÁ NA MISSÃO QUE TEM NESTA VIDA?) 

E ela tem o direito de saber disso desde o nascimento. A missão vai ser encontrada mais facilmente, se o adulto lhe passar conteúdos de segurança, de identidade com a vida, valores espirituais de liberdade e não de castração, como muitas religiões o fazem. Pode ser muito bem explicado que a missão dela, é o compromisso que ela assumiu com o Divino, antes de nascer aqui na terra, e ser feliz, alegre, contente, calma, inteligente, de saber se cuidar, de se tratar com respeito e carinho... Pode-se usar termos como: antes de você nascer o Anjo ou anjinho da guarda, combinou com você e você com ele.... e aí se passa o valor e conteúdo de sua crença. Se esta criança sabe desde pequena que ela tem uma missão, certamente sua imaginação vai lhe ajudar a encontrar esta missão, e não terá dúvidas quanto a sua profissão, sua escolhas afetivas e espirituais, e sairá da armadilha dos pais, que trabalham, e para compensar suas culpas, cercam seus filhos com coisas materiais e com nenhum conteúdo espiritual. Fato que leva certamente o adolescente a experimentar e se manter nas drogas alguns anos depois. 

A escritora Alice Bailey afirmou... "Cada um que faz sua parte e dissolve a sua quota de fascínio e ilusões, está aplainando o caminho para os que vêm a seguir. Esse é o maior serviço que o discípulo pode prestar à humanidade." 

Se desde a tenra idade a criança, é amparada em desenvolver imaginação, emoção e a palavra, ela vai ter uma maior facilidade para encontrar sua missão, e aí ela naturalmente vai se sentir aceita, pois para um bom desenvolvimento de um ser... 

A Criança tem que se sentir Aceita: 

A criança é o reflexo daquilo que a nutrem. Uma criança nutrida é uma criança feliz. O nutrir não é apenas ou só a alimentação. O nutrir é principalmente o carinho, o afeto, a proteção, o amor. Este ingrediente demonstra à criança que ela é aceita. 

Se a nutrem em demasia, (normalmente por apego ou culpa) ela terá a tendência em ser autoritária, MIMADA dominadora, preguiçosa, inconseqüente, irresponsável, não engajada no processo social. Se a nutrem em escassez (normalmente pelos pais serem ausentes ou não aceitarem o nascimento da criança) ela deverá ser insegura, doente, quieta, chorona, triste, e poderá querer viver para agradar ao outro a vida toda.(E AÍ VC ADULTO, COMO É SUA CRIANÇA HOJE.... COMO VC A SENTE?) 

Quando a criança se sente aceita, ela cresce com segurança pessoal e é de fato feliz, e os educadores, ou pais de maneira geral, precisam prestar muita atenção a um grande erro que praticamos diariamente com as crianças, que é a crítica ou aridicularização, pois quando uma criança é.... 

Criticada ou Ridicularizada: 

Sua auto-estima é bastante rebaixada, e sentimentos de insuficiência ou de muita raiva, podem se instalar em sua psique, que se transformarão em sombras, permitindo o aparecimento de certos comportamentos estranhos ao equilíbrio emocional. 

O aparecimentos dos nossos complexos, culpas e mágoas, que mantemos nossas vidas inteiras, normalmente se desenvolvem até os 7 anos, principalmente nos 3 primeiros anos, quando a criança começa a mostrar traços de sua personalidade, e nós os adultos de maneira geral, temos muita dificuldade em aceitar que elas sejam diferentes de nossas expectativas, e tentamos impor nossos modelos, nossas maneiras de ser, nossas visões de vida, ou de esperteza, ou de verdade, etc. 

Grande parte de nossas crianças, são massacradas na primeira infância, pois os pais, por tentarem lhes impor seus modos, criaram uma expectativa de COMO AQUELA CRIANÇA DEVA SER. E não se dão em conta do que estão fazendo. Criticam, ridicularizam, agridem a vontade do outro, em nome de manter uma aparência ou ordem que é apenas para satisfação do seu ego. 

Tenho aprendido na prática, que o adulto tem jogado nos filhos, todo o lixo psíquico que cultivou desde a infância, e não se livrando deste lixo, não sabe lidar com ele até hoje. 

Toda criança que passa por esta etapa de ser criticada e ridicularizada, se tornará um adulto impedido de alguma coisa. Será bloqueado, ou em sua vontade, ou em sua iniciativa, ou em sua criatividade, etc. e se tornará um adulto cheio de inseguranças, e para se sentir aceito em sociedade, poderá vir a desenvolver processos de manipulação, de escárnio, de agressividade, ou outros mais, sem falar na dor interna que causamos à criança, quando usamos da... 

Comparação: 

(VC COSTUMA COMPARAR AS PESSOAS OU SE COMPARAR COM ALGUÉM? – SE DE FATO FAZ ASSIM, VC AINDA NÃO PERCEBEU QUE VC É VC E NÃO HÁ NINGUÉM IGUAL A VC E O QUE VC É ESTA CERTO... SERÁ QUE SUA CRIANÇA INTERIOR SAE DISSO? VC JÁ DISSE ISSO PARA ELA?) 

Nós também aprendemos por comparação, observamos e comparamos nossas atitudes e competências, diante daquilo que vemos. O que vemos motiva ou não nossa vontade de imitar nosso modelo, conforme nosso critério interior, mas um dos maiores erros que a sociedade mundial comete com uma criança, é a comparação. Não a criança naturalmente fazer sua comparação, que a leva a sua experiência de aprendizado. 

Tentamos educar a criança comparando-a com outras crianças, que segundo a visão do quem está educando, são melhores, são mais bem comportadas, são mais dóceis ou mais inteligentes, ou, até comparamos para mostrar que somos melhores, nossa casta, nosso grupo é melhor que o outro, etc. 

A criança que é educada através da comparação, não desenvolve suas tendências naturais, conforme a programação de sua alma. Mudamos seu destino e a tornamos insegura e infeliz, pois se sentirá SEMPRE inferior e sempre devendo alguma coisa, ou superior e arrogante, como se fosse melhor do que todas as outras. Muitas das culpas que o adulto tem hoje fazem partes do conjunto de comparações que esta criança recebeu na infância, e como não consegui corresponder aquilo que o adulto queria, ficou a sensação que sempre deve algo. 

Este sempre deve algo, se transforma nas culpas, que norteiam nossas vidas adultas. 

Normalmente o adulto faz este tipo de comparação, por não se envolver com a criança, e por não saber como lidar com uma criança diferente do seu padrão esperado. Esperamos que uma criança tenha um comportamento, parecido com aquele que tivemos em nossa infância, para assim sabemos lidar com ela, mas se este comportamento é diferente, nos causa INSEGURANÇA, e nossa tendência diante desta impotência em lidar com a criança, é de agressão e a agredimos, fazendo comparações com outras crianças, como se devêssemos dar a ela um modelo já pronto de comportamento, que é nosso, e faz parte do meu mundo interior, e não necessariamente do mundo da criança. 

Aí eu questiono: Aqui há amor? Educo meu filho, em nome do amor ou em nome do ego? 

Se eu exijo da criança algo que é meu, e não dela, e não respeito sua individualidade, de fato não é uma educação baseada em amor, e sim no ego. Amar é permitir. Não confunda o permitir, com permissividade. 

Muitos pais também se irritam e cobram seus filhos, pois desde pequenos estas crianças, apresentam comportamentos, igualmente semelhantes aos dos pais. Como estes não tem uma leitura adequada de si mesmo, ao se verem no espelho que estes filhos mostram, acabam se irritando e agredindo, reclamam, tendo acessos de cóleras, por perceberam que seus comportamentos já estão sendo copiados e isto se torna insuportável para muitos pais. 

Muitos pais não agüentam se verem nos filhos, e acontece que cada criança tem com seu pai e sua mãe, algum tipo de semelhança, seja por OPOSIÇÃO ou IGUALDADE. Por isso os escolheu para evoluírem juntos. 

Esta caminhada que eu pai, eu mãe, eu educador, escolhi para viver junto desta criança, me indica que para superar dificuldades, atingir meus objetivos de encarnação e conseguir concluir com êxito o que foi anteriormente programado, eu preciso me envolver com a relação. 

Não há como se ter vitória num processo qualquer da vida, sem haver o ENVOLVIMENTO, principalmente em se tratando de conteúdos e valores humanos. 

Sugiro a todos os pais ou mães ou educadores. Envolva-se com suas crianças. Envolva-se para valer. Não seja um pai ou mãe, ou educador ausente, mesmo estando 24 horas por dia ao lado da criança.(SE POR ACASO VC TEM ESTA DIFICULDADE DE SE ENVOLVER COM SUAS CRIANÇAS, É A SUA CRIANÇA INTERIOR MACHUCADA QUE NÃO QUER SE ENVOLVER, PELAS HISTÓRIAS QUE NELA FICARAM REGISTRADAS) 

Envolver-se é estar inteiro na relação, é brincar muito, é ser alegre, é aceitar o outro como sendo diferente de você, e se assim você o fizer, estará dando a grande chance da criança vir a se descobrir, porque para se atingir o objetivo que leva uma criança á vida adulta matura e plena.... 

A Criança precisa Descobrir-se: 

Desde o seu nascimento, a criança aprende com os OUTROS que existe o homem e a mulher, bonito ou feio, inteligente ou burro, educado ou agressivo,quente ou frio,etc. Recebe uma enorme carga emocional de fora para dentro e quando chega dentro, ela vai ter que trabalhar sua própria aceitação de acordo como se sente aceita pelo mundo adulto. 

Aí se geram muitos conflitos interiores, pois tem o que os outros acham de mim, e tem o que eu acho de mim, e certamente, estes dois fatores são opostos e bem discordantes. 

A opinião do outro, pode provocar 2 tipos de comportamentos: 1) Minha plena aceitação, quando fui nutrida e aceita ou 2) Revolta e agressão, limitação, implosão e resignação em aceitar o que o outro determinou para mim como padrão, deixando um resquício de profunda infelicidade e descontentamento. Aqui começam muitos de nossos complexos, QUASE TUDO O QUE ESTÁ EM NOSSA CRIANÇA INTERIOR, UMA BOA PARTE VEM DESTE MOMENTO.. 

Precisamos ajudar as crianças a descobrirem-se, a perceberem seus valores, suas competências, que podem ser bem diferentes dos modelos que tentamos lhes impor e uma maneira equilibrada de fazer isso é termos um adequado.... 

LIMITE: Toda criança precisa de limite. Muito limite. O tempo todo limite. Não confunda limite com castração. Limite é aquilo que o próprio Deus nos deu, ao criar leis que regem o universo, com a finalidade de preservação da vida. O limite implica necessariamente no amor. 

TER LIMITE É AMAR. Fazemos uma grande confusão, por não termos sido amados e não aprendermos a amar. Nossa educação é baseada em apego, não no amor. O que normalmente os nossos pais passaram para nós não foi amor, foi apego e ainda repetimos este modelo com nossas crianças. O amor liberta, o amor permite, o amor põe limite, sem culpas. Se ao tentar por limite numa criança, me sinto culpado, não estou agindo com amor. Algum outro conteúdo está presente. Alguma emoção está ali no meu coração e não sei lidar com ela. 

O Deus põe limite conosco, por nos amar. Limite é um ato de amor de preservação. Deus nos ama, por isso põe limite. A lei que rege o universo está cheia de “nãos”que são os limites de Deus. Temos o livre arbítrio que nos permite experimentar, mas já sabemos que muitas das coisas não devemos experimentar, pois nos causarão dores, sofrimentos. 

Assim deve ser nosso comportamento ao educarmos uma criança. Devemos permitir e não sermos permissivos. Permitir é deixar experimentar, mas acompanhar e monitorar, com limite nessa ação. Ser permissivo é ser ausente, é não querer acompanhar e participar, e não querer ter responsabilidade sobre o fato. 
Quanto o adulto é permissivo com a criança por não saber amá-la e se sentir culpado com isso? 
Se a criança não aprende a ter limites, ela não aprende que o universo tem leis, e cria uma vida anárquica, diferente das leis eternas, e se envolve num mundo interior sem ordem e de bagunça. Esta falta de ordem interior, é o principal motivo que leva um adolescente às drogas. O jovem se droga, por ter faltado limite e disciplina na sua educação, ou seja amor. (de novo eu insisto, não confunda limite e disciplina com castração) 

Tenho encontrado mães, pais, professoras, tias, avós, avôs, etc, que vivem momentos de muitas dificuldades, ao cuidarem e educarem suas crianças, por apresentarem um comportamento de hiper-atividade, com uma lógica e dinâmica, acima da compreensão do adulto. Uma inteligência acima do esperado, e uma exigência de limite, que fazem os adultos ficarem perdidos, sobre o que é o adequado ou não adequado. Certamente, estamos falando aqui, da criança da nova era..... 

A CRIANÇA DO 3o. MILÊNIO 

A raça humana ao ser estudada pela ciência demonstra que em nosso corpo animal, a estrutura do DNA (que contém nosso código genético) é formada de duas aspirais com 12 filamentos cada uma. 

Pesquisas desenvolvidas pelo Dr. Berrenda Fox, (médico e pesquisador Geneticista, trabalha na Clínica Avalon, Califórnia, USA, e é consultor científico da série televisiva, Arquivo X), constatam que um novo homem está surgindo no planeta. Um novo ser, com capacidades e potenciais que ainda não podermos afirmar até onde chegaremos. 

O Dr. Berrenda, explica que tem pesquisado 3 crianças, que em vez de duas, possuem três aspirais em sua estrutura de DNA, e estas crianças apresentam possibilidades para-normais nunca vistas até então. Conseguem mover qualquer objeto que estiver em sua frente, de um lado para o outro, apenas com sua vontade, sem precisar tocá-lo, ou encher um copo d`água sem sair do lugar que estiver sentado só com uma ordem ao jarro e ao copo.. 

Acompanhamos de longa data esta evolução que está acontecendo, e crianças que nasceram a partir de 1.972, já são bastante diferentes das nascidas antes, e as que nasceram à partir de 1989, mais diferentes ainda nestas estruturas de DNA. As que nasceram a partir do ano 2.000 tem a total chance de já terem as 3 aspirais já desenvolvidas, como pesquisas apontadas pelo Dr. Berrenda. 

Então, o que isso significa? 

Significa, que a Bíblia tem razão. Sem querermos entrar em nenhuma questão religiosa, vamos apenas lembrar o que diz a Bíblia logo em seu início, na gênesis,...."e fostes criados à imagem e semelhança do Senhor teu Deus..."

Esta nova era, que chamam de 3o.Milênio está trazendo novamente ao ser humano, a consciência daquilo que ele É. Um ser feito À IMAGEM E SEMELHANÇA DE DEUS. 

A Psicologia Transpessoal, explica de maneira simples e objetiva, que temos em nossa psique, uma região de idéias perfeitas, uma região, que quando contatada, nos sentimos bem e temos paz e felicidade. Dá o nome a esta região de SUPERCONSCIENTE. 

O conhecimento esotérico chama este Superconsciente de EU SUPERIOR ou de CORPO CRÍSTICO, e um outro nome também se dá a este mesmo corpo é MERCABAH. 

Pessoas que aqui viveram como Jesus, Buda, Francisco de Assis, Madre Tereza, e outros, tinham esta consciência alterada e viviam em contato permanente com esta estrutura do Eu Superior, ou Superconsciente ou mais exatamente, tinham contato permanente com seu corpo de luz ou MERCABAH. 

O 3o. Milênio é a era de vivermos em contato com este corpo de luz, e aprendemos a entrar em contato com nossa própria natureza divina, pois não disse Jesus... "vós sois Deuses?". Chegou o momento dos DEUSES tomarem conta de sua própria vida, do planeta em que vivem, a criarem uma geração de super seres, onde a liberdade, a fraternidade, e o amor, façam parte da troca diária entre toda a humanidade. 

A trombeta do Anjo já foi tocada e a mudança já começou. 

As crianças que nascem agora são mais sensíveis, são mais inteligentes, aprendem mais rápido, enfim são mais evoluídas que seus pais. Estão com sua psique e seus corpos físicos, prontos para a grande mudança que está transformando o planeta terra da 3a.Dimensão, para a 4a. Dimensão e em seguida, 5ª. dimensão. 

Compete a nós adultos, o esforço de acompanhar estes verdadeiros anjos que nascem a cada dia no planeta, e têm muitas dificuldades de se adaptarem a este padrão cristalizado e castrador, que ainda temos na nossa sociedade. 

A criança do 3a.Milênio é por natureza inquieta, questionadora e livre, devido a grande energia de luz que sua alma irradia, e os padrões que temos a lhes oferecer, são de limitações, de impedimentos. Os pais e educadores, não estão compreendendo o que acontece, devido sua limitação espiritual, ou a padrões religiosos dogmáticos e impositivos em que foram educados. 

Neste momento, entramos em uma era de liberdade, liberdade para o equilíbrio e o desequilíbrio, e o joio e o trigo andam juntos, para que aprendamos a separá-los. As pessoas estão soltando seus conteúdos emocionais reprimidos a séculos, para se conhecerem e se libertarem; precisamos voltar a sermos livres, como era no princípio da criação. 

É um momento de grande e profunda reflexão para toda e humanidade. A verdade começa a vir à tona. Seres muito evoluídos começaram a nascer no planeta, para ajudar a civilização aqui existente a encontrar um novo caminho, diferente do caminho que seguimos até então. Estes seres são nossas crianças. 

O amor, a generosidade, o perdão, a boa vontade, terão que fazer parte de nossas instituições humanas. O caos que encontramos agora é porque esta mudança está se processando, e esta geração que chega, vai permitir que o homem se conheça. Que aprenda a entrar em si, sem se esconder mais, pois a nossa história, nos conta que nos escondemos de nossas sombras, e por isso não encontramos nossa luz. 

Lembram de Jesus... "Conheça a verdade e ela te libertará". Onde está esta verdade? Ela está no meu, no seu, no nosso coração. A verdade é o sentido maior que o ser humano tem da sua lembrança divina. 

Creio que compete a nós adultos, ampararmos nossas crianças, com amor, carinho, amizade, para que consigam crescer livres, e possam nos ensinar os caminhos da felicidade eterna, que só se encontra com liberdade. Liberdade que eles tanto sentem e buscam. Liberdade que eles podem nos ensinar, se tivermos o coração aberto ao futuro que nos bate à porta. 

Estas crianças para cumprirem suas missões, precisam muito de nós adultos. Precisam de nossa firmeza, de nosso interesse, de nosso amor, de nossa amizade, de nosso acompanhamento, para que não entrem no padrão manipulatório que está implantado no planeta. Por elas serem bem mais livres, entrarem no equilíbrio ou no desequilíbrio é bem mais fácil do que em nossa geração. Elas precisam, principalmente de limite. Um amoroso limite, precisa ser dado a cada criança desta nova geração, para que aprenda a discernir sobre o que pode ou não pode escolher como melhor para si, porque o que escolherem, será a escolha da humanidade futura.