/ Psicologia

A mulher reclama: Faltam homens no mercado! É verdade?- PARTE II

 Quando escrevi o texto anterior, a parte I, não esperava a repercussão que ele causaria, pois muitas mulheres me escreveram dizendo-me que concordavam com o que expunha e indo até mais além, ao me relatarem suas experiências pessoais. 


Porém, uma quantidade pequena, cerca de 20% daquelas que disseram entender e concordar, rejeitaram com toda veemência, e cerca de 5 delas, colocaram suas agressividades para fora por se sentirem agredidas naquilo que continha no texto, usando termos “você é um idiota ao pensar que entende de mulheres” ou “troglodita” ou “machão” ou “como você pode pensar em ser psicólogo se pensa assim da mulher”. 

Para mim que lido diariamente com mulheres e aprendo muito com elas, foi uma experiência rica, e gratificante onde pude perceber que as minhas convicções, baseadas em experiência clínica, estavam certas e aquelas que reagiram de maneira negativa, apenas expuseram suas dificuldades de conviverem com o masculino em geral e com o masculino que existe dentro delas mesmas. 

Por ter formação em Regressões de Vida Passadas e pelo trabalho xamânico que realizo quase todos os dias, nas regressões ou viagens xamânicas, as pessoas que me procuram no consultório, normalmente acessam outras encarnações se vendo numa realidade sexual diferente da de hoje. Muitas mulheres hoje foram homens ontem, sendo guerreiros e muitos homens se vêem grávidas e dando o seios a bebês, que eram seus filhos enquanto mulheres. 

Não somos homens nem mulheres: Somos espíritos eternos vivendo a maravilhosa experiência humana da tridimensionalidade e aprendendo a estar e conviver na sombra para reconhecer nossa luz e aí criar um novo caminho no Universo que é o desenvolvimento da Consciência Crística, que só ocorrerá quando integramos nossa sombra e nossa luz. Quando isto vier a ocorrer a intenção de Deus estará realizada, pois foi assim que ELE escolheu para cada um de nós. 

A roda da vida gira nos levando aonde for necessário na busca do nosso melhor desenvolvimento e como partes do universo, cada um de nós viverá todos os papéis que nos faltam até completarmos o ciclo evolutivo que nos propusemos participar. 

Mas voltando ao início deste texto, as mulheres que me escreveram e reclamaram do artigo, como se ele fosse ofensivo ao feminino, demonstravam muita agressividade com o masculino e duas chegaram a citar coisas do tipo...”eu queria ver um homem menstruar todo mês” ou “eu queria ver os homens grávidos para entenderem como é difícil a vida de uma mulher” ou “você sabe o que é a vida toda ter que lavar cueca suja de um homem” e a estas expressões se seguiam até com algumas palavras impublicáveis neste site. 

Qualquer pessoa que foge da freqüência amorosa terá de volta aquilo que emite, pois no universo, nós somos aquilo que pensamos e cultivamos no coração. 

No consultório é comum aparecerem homens ou mulheres que estão vivendo uma realidade de dor, com possível perda afetiva, onde podem ter sido traídas, abandonadas, enganadas e mantém-se magoadas, tristes, rancorosas, mas estas pessoas com algumas poucas sessões psicoterápicas, vão aprendendo que a história aconteceu com sua participação e responsabilidade, pois uma parte delas mesmas permitiu que o “outro” lhe abusasse e magoasse. 

Quando questiono se faltam homens no mercado, pois isto é um comentário de muitas mulheres, e o fazem ao se queixam de sua solidão, é até possível que seja verdade este fato, mas cada um de nós tem a ver com o que acontece na sociedade como um todo, e a energia masculina está doente a muito tempo, presa infelizmente num educação machista e castradora e a mulher que começou a ganhar seu justo espaço e ter a cada dia mais conquistas, não tem estado diferente deste homem. 

Por qual motivo afirmo isto? Pelo fato da mulher ter incorporado nela uma energia que não é dela, pois a ulher ao sair para trabalhar encontrou no mercado profissional, uma energia masculina implantada há alguns milênios e ela para sobreviver neste ambiente, ela incorporou a mesma energia e levou esta energia para a maioria dos seus papéis na vida. 

Ao ter necessidade de ganhar dinheiro ela acabou abdicando da parte mais bonita de ser mulher, que é ser mulher, ou ser feminina, ou seja, é aquela que gera uma vida no seu ventre, é aquela que dá seu seio a esta vida gerada, é aquela que se encanta com uma flor, é aquela que chora ao escutar uma música ou uma poesia que lhe dê alguma lembrança, é aquela que todo mês tem seu comportamento alterado por problemas hormonais, é aquela que tem sensibilidade para enfeitar e por ordem em qualquer ambiente, é aquela que aceitou a determinação do Universo em ser a portadora da energia espiritual e do amor, e que por isso tem uma sensibilidade diante da vida, que dificilmente um homem consegue entender. 

De maneira geral, a mulher de hoje que também trabalha e produz seu sustento, está num limiar entre muita confusão e caos, pois há um lado que lhe chama para o feminino para que ela viva seu papel, e por outro lado, pelo modelo que ela tem instalado em sua infância de competição com a outra mulher, ela se espelha na sua semelhante que trabalha, produz, é independente financeiramente, mas o preço de estar neste papel é demasiadamente grande. 

Muito stress, perda da referência afetiva, doenças psicossomáticas e muita sensação de culpa alicerçada na confusão pessoal que ela vive para cumprir a maratona dos seus diversos papéis diários. 

Esta mulher que vive energeticamente uma vida masculina, acostumou-se a decidir, tem poder de compra e sabe o que quer na vida, desenvolveu toda uma vida fora de casa, como o homem sempre viveu neste últimos milênios. É uma mulher que tem muitas dificuldades de encontrar um parceiro afetivo, pois os homens, do seu jeito, sentem que será difícil uma vida com este perfil de mulher e que o espaço masculino junto a ela será muito pequeno para ele. 

Os homens que vivem com esta mulher forte, são homens frágeis, com uma energia mais feminina e que acabam se submetendo ao comando da mulher na vida afetiva e doméstica. Os homens que querem uma mulher feminina, fogem destas mulheres, e é este um dos motivos que a executiva dos dias de hoje é uma mulher solitária, que se realiza na vida material, mas lhe falta o complemento afetivo para que se torne uma mulher inteira. 

Portanto acredito que é urgentemente necessário que o aspecto feminino crie uma maneira de rever e reformular seus conteúdos e escolhas, desenvolvendo um modelo feminino de conduta com relação a trabalho, a vida afetiva e familiar, pois se assim não ocorrer, você mulher será a grande perdedora, pois estará deixando de cumprir seu maior papel que é ser matriz da vida e matriz da vida se estende também ao papel da formadora do lar. Num lar há filhos, maridos e a energia feminina do amor que o comanda. Como está em sua casa? 
 

Texto revisado por: Cris